Quando não deu certo

As minhas duas filhas foram planejadas, mas eu engravidei outras duas vezes, as quais infelizmente não chegaram até o fim gestacional!

Engravidei pela primeira vez, com 27 anos. Me sentia nova, saudável e no ápice do desejo de ter um filho!

Aquelas foram as dez semanas mais felizes da minha vida! Eu gerava uma vida pela primeira vez! Quando completei 9 semanas fiz minha primeira Ecografia, uma experiencia inesquecível! O coração batia como esperado, 150 batidas por minuto. 

Saímos do consultório eufóricos, já tínhamos uma lista de nomes de bebês e anunciamos a gravidez para toda nossa família! Depois, literalmente,  para o mundo todo através do Facebook. 

Era uma manhã calma, eu estava me sentindo ótima, pois eu senti náusea duas semanas anteriores. Fui no mercado comprar doces para a noite de Halloween! Seria minha primeira vez entregando doces para as crianças, sabendo que no próximo ano eu estaria com minha criança fazendo o "TRICK or TREATING"! 

Achei estranho, que amanheci com  cólica. Achei que não era nada demais, pois eu tinha ouvido, dias antes, os batimentos cardíacos do bebê.

Pesquisei os sintomas e, não satisfeita, fui ao médico. E foi assim que descobri que não havia mais batimentos cardíacos! Não havia mais sonho, não havia mais esperança era apenas um vazio!

Halloween de 2009 foi o pior Halloween da minha vida! Um verdadeiro filme de terror! O médico me mandou para casa e me instruiu esperar o bebê "descer"!

Os detalhes do acontecimento são tão marcantes, os quais prefiro não relatar aqui! Sinceramente eu acredito, que existem sentimentos, os quais fomos escolhidos para "sentir" e depois "esquecer"!

Minha primeira filha nasceu em 2010, sonho realizado! Ela multiplicou minha vontade de viver cada dia como se fosse o último! Ela me trouxe paz, acalmou meu coração e me ensinou a evoluir! 

Dezembro de 2014, minha terceira gravidez! Eu esperei doze semanas para contar para toda família, que novamente teríamos, a bênção de ter, o segundo filho. 

Minha cunhada esperava sua terceira filha e só existia uma semana de diferença entre nossas gestações! Preparamos uma festa, para contar aos avós, que no mês de Agosto de 2015 eles teriam mais dois netos!

Eu estava radiante por alguns motivos! Nossa filha sonhava com um irmão e eu já estava no terceiro mês de gestação! Além do mês de Agosto ser o aniversário do meu esposo, quem poderia sonhar com um presente melhor? 

E assim fizemos a festa! A família pulou de alegria e minha sogra até chorou de emoção!

Metade de fevereiro, nos preparávamos para ir ao Brasil. Dois dias antes da viagem meu médico sugeriu uma Ecografia, de 12 semanas, para ver as medidas importantes da nuca. E pela segunda vez eu experimentei a dor da perda! Essa vez o bebê ja estava formado! Eu podia ver o seu formato, contar os seus dedos, mas o seu coração não batia mais. 

Essa vez eu não senti dor física, pois optei por uma curetagem. 

E mais uma vez eu enfrentei a perda de um bebê, com o coração um pouco mais esperançoso! Porque na minha casa, minha filha me esperava e quando eu sentisse o coração dela eu seria capaz de enfrentar qualquer dor!